Bebê nasce com cabeça de 'gêmeo parasita' no corpo e realiza cirurgia

Posted on

Ocorre quando um feto malformado se encontra no interior do corpo de seu gêmeo.

Fraqueza de um lado do corpo, dores de cabeça, convulsões e visão dupla são alguns dos sintomas da doença. Quando os gêmeos siameses estão ligados  pela cabeça e pelo tronco é uma situação mais delicada, pois as chances deles partilharem o mesmo órgãos são maiores. De acordo com o portal de notícias online #Saúde IG, o bebê nasceu na Índia e precisou passar por uma cirurgia para retirar a cabeça presa ao seu corpo. A recém-nascida que nasceu com uma cabeça ligada ao corpo, passou por uma cirurgia de aproximadamente 4 horas para retirar o gêmeo parasita. Neste caso a cabeça ligada ao bebê não era bem formada, ela não tinha olhos e apenas um pequeno braço com uma mão minúscula. Gerando o irmão gêmeo: Fetus in Fetu (gêmeo parasita) (80%) votes Esta anomalia poderia ser dizer que é um exacerbo do caso dos gêmeos xipófagos (siameses). A anomalia chamada de fetus in fetu, é muito raro e acontece quando um feto não viável é englobado pelo feto do irmão gêmeo, que se desenvolve de maneira normal. Caso o bebê já tenha sido infectado, o tratamento com outras medicações podem tornar a doença menos severa. Um menino de dois anos teve que passar por uma cirurgia para retirar o feto de seu irmão gêmeo que estava dentro de seu estômago.

Narendra Kumar carregava o feto de seu irmão desde a barriga da mãe

  • Visão embaçada;
  • Olho coçando ou doendo;
  • Vermelhidão no olho;
  • Presença de manchas escuras na visão;
  • Sensibilidade excessiva à luz.

Assim que o bebê nasceu e passou pelos primeiros exames, os médicos se depararam com um feto dentro do corpo do recém-nascido.

O feto que estava alojado próximo ao estômago do bebê se alimentava como um parasita, ou seja, ele roubava a nutrição necessária do seu irmão gêmeo. “Componentes que apontavam para a existência de um feto dentro da massa incluem crânio deformado, corpo vertebral e ossos longos”, publicou a equipe no artigo. O caso, chamado de fetus in fetu, é raro e acontece quando um feto não viável é englobado pelo feto do seu irmão gêmeo, que se desenvolve de maneira normal. “É um caso de gestação gêmea monozigótica em que é compartilhado uma única placenta, onde um feto envolve-se no outro bebê e rouba sua nutrição. Neste caso, ainda durante a gravidez, o feto é coberto com a lanugem que deveria cair durante o oitavo mês de gestação, mas continua a crescer. Além de ter vindo ao mundo com uma cabeça extra, que não tinha ouvidos e olhos por se tratar de um feto parcialmente desenvolvido, também tinha uma terceira mão. — É um caso de gestação gêmeamonozigótica em que é compartilhado uma única placenta, onde um feto envolve-seno outro bebê e rouba sua nutrição. As frases mais ridículas ouvidas pelos médicos Adolescente tem irmão gêmeo retirado de seu estômago após 15 anos carregando o feto Esse texto foi útil para você? 180 Graus MSN Em um caso raro no meio médico, um jovem abrigou o feto de seu irmão gêmeo dentro do corpo por 15 anos.

Bebê nasce com cabeça de ‘gêmeo parasita’ no corpo e realiza cirurgia

  • Dor no olho;
  • Vermelhidão no olho;
  • Coceira ou irritação no olho.

Adolescente com feto dentro do abdômen O caso aconteceu no Hospital Sultan Abdul Halim Hospital, na Malásia, e foi publicado no jornal científico British Medical Journal.

A formação geralmente acontece no abdômen, mas também pode se desenvolver em outras partes do corpo do hospedeiro como cabeça, boca e escroto (bolsa que contém os testículos). Os sintomas de bicho de olho incluem: A causa do bicho de olho é a penetração de um parasita no corpo humano que se instala no olho. O bicho de olho pode ser proveniente da alimentação ou o parasita pode entrar no corpo através de alguma ferida aberta. Ele acontece quando um feto malformado se encontra no interior do corpo de seu gêmeo. Em um caso raro no meio médico, um jovem abrigou o feto de seu irmão gêmeo dentro do corpo por 15 anos. O crescimento pareceu ser um caso de “fetus in fetu”, uma anormalidade extremamente rara, na qual um feto é “engolido” por seu próprio irmão gêmeo. Normalmente, o parasita não tem cérebro ou órgãos vitais, mas, neste caso, os médicos relataram ter visto um cérebro no feto. Tratava-se de um feto malformado, no caso o seu irmão gêmeo, que ele carregava desde o seu nascimento. O feto do gêmeo parasita não sobrevive após o nascimento, e ainda pode fazer com que o gêmeo hospedeiro corra risco de morte.

Bebê nasce com cabeça de ‘gêmeo parasita’ no corpo e re

  • Estádio da doença materna;
  • A idade da gravidez (até às 15 semanas o risco é menor);
  • O tratamento da gestante;
  • Resposta imunológica do bebé.

Em caso de pacientes soropositivos, o tratamento é indispensável, pois a forma disseminada da doença pode envolver retina, pulmões, cérebro, pele, músculos, fígado e coração.

Os autores do artigo consideram que esse caso pode ajudar a entender a origem verdadeira do gêmeo parasita, mas ponderam que é preciso mais evidências para chegar a uma conclusão. O feto acéfalo (sem cabeça) é um gêmeo parasita unido a outro feto completamente intacto. O feto acéfalo tem corpo mas carece de cabeça e de coração; o pescoço do feto está unido ao do gêmeo normal. Causas de bicho de olho A causa do bicho de olho é a penetração de um parasita no corpo humano que se instala no olho. Na verdade, se trata de um caso de gêmeos parasitas, ou seja, de fetos inviáveis que são absorvidos pelo corpo do bebê cujo desenvolvimento prosseguiu normalmente durante a gestação. Na Indía, uma menina acabou por nascer com a cabeça do seu irmão gémeo colada à barriga, depois da gravidez da progenitora, uma mulher de 21 anos, se complicar. Nesse mais do que raro caso, um gêmeo que se desenvolvia junto à Dominique no útero acabou se fundindo com ela, passando a fazer parte do seu corpo. Tratava-se de um feto mal formado, no caso o seu irmão gêmeo, que ele carregava desde o seu nascimento. 09:32 03.05.2017(atualizado 12:03 03.05.2017) URL curta Na Índia, nasceu uma criança com uma “segunda cabeça” na área da barriga, ou seja, com um gêmeo parasita, informa o jornal Daily Mail. O caso insólito ocorreu devido a um fenómeno de gémeo “parasita”, que corre quando um dos fetos se desenvolve com deformação congénita e é absorvido pelo feto saudável. [Listverse] meninas olha o que eu achei nesse site , a pessoa falando absurdos inclusive dizendo que o feto é um parasita no corpo da mulher. Entretanto, uma vez no organismo, o parasita não sai mais e existe o risco dos sintomas voltarem quando a pessoa estiver com as defesas do corpo em baixa. Fonte: Dicas de Mulher Tratava-se de um feto malformado, no caso o seu irmão gêmeo, que ele carregava desde o seu nascimento. BMJ Case Reports Em um caso raro no meio médico, um jovem abrigou o feto de seu irmão gêmeo dentro do corpo por 15 anos.