Exame Parasitológico de Fezes – Diagnóstico das verminoses

Posted on

Alguns estudos de corte transversal revelam que pacientes infectados pelo HTLV-I têm mais predisposição para desenvolver doenças parasitárias, virais e bacterianas quando comparados com indivíduos soronegativos para este vírus.

Estes chegam aos ambientes aquáticos por intermédio das fezes do homem e de outros animais e podem desencadear diversos agravos à saúde, sobretudo em indivíduos imunodeprimidos e imunossuprimidos. para a pesquisa: ‘parasitas’, em: 0.08s O exame parasitológico de fezes (EPF) é uma das formas mais utilizadas para o diagnóstico das verminoses, sejam elas causadas por protozoários ou helmintos. Antes de falarmos do exame parasitológico de fezes, vamos explicar o que são parasitos e parasitoses. Os helmintos causadores de doença intestinal mais comuns são: • Nematoides: • Trematódeos: • Cestódeos: Cada parasito apresenta uma quadro clínico próprio, muitas vezes bem diferentes uns dos outros. O sinal mais óbvio de parasitose intestinal é a presença de um parasita visível nas fezes. O diagnóstico das parasitoses é habitualmente feito através do exame parasitológico de fezes. Por isso, para aumentar a sensibilidade do exame, sugere-se que sejam colhidas de 3 a 6 amostras de fezes, uma em cada dia ou em dias alternados. A amostra mais utilizada para a pesquisa de parasitas são as fezes, todavia os parasitos podem estar presentes dentro e sobre todas as partes do corpo (ex: Plasmodium, Trichomonas). A investigação da presença de helmintos nas fezes é realizada pela pesquisa de ovos ou larvas.

Por que pedir o exame de fezes ao veterinário?

  • Os parasitos que causam distúrbios no organismo podem fazê-lo:
  • *Ação mecânica
  • *Ação obstrutiva
  • *Ação tóxica, devido aos produtos de seu metabolismo ou de algum simbionte associado ao parasito.

O exame parasitológico mais simples é o que permite a detecção de ovos e larvas de helmintos e cistos de protozoários nas fezes frescas.

O sangue oculto nas fezes pode estar relacionado com uma infecção parasitária, ou ser um resultado de outras condições anormais. O exame macroscópico pode ser realizado pela simples observação ou pela tamização, as quais, em muitos casos, são suficientes para estabelecer um diagnóstico final. Os créditos deste conteúdo são dados a seus respectivos autores O método direto é muito utilizado para a pesquisa de trofozoítos nas fezes (forma adulta dos protozoários). O exame direto a fresco é um procedimento simples e eficiente para o estudo das fezes, permitindo observar as formas trofozoíticas vivas dos protozoários. Este trabalho tem como objetivo nos informar sobre o exame parasitológico de fezes, promover a prestação de atenção segura, efetiva e esclarecida aos pacientes submetidos a exames e procedimentos diagnósticos. No exame parasitológico são pesquisadas formas diversas de diversos parasitas que causam doenças em humanos. Para o diagnóstico dessas infecções parasitárias o exame das fezes é fundamental. A coleta de fezes para exame parasitológico não possui muitas recomendações. O diagnóstico laboratorial se faz pela identificação de cistos ou trofozoítos no exame direto de fezes ou identificação de trofozoítos no fluido duodenal, obtido através de aspiração.

Exame Parasitológico de Fezes – Diagnóstico das verminoses

  • Boletim de Candidatura preenchido;
  • Certificado da Licenciatura;
  • Curriculum Vitae;
  • Cópia Bilhete Identidade / Cartão de Contribuinte OU Cartão Cidadão / Passaporte – LEGÍVEL;
  • Fotografia

É transmitida pela ingestão dos ovos infectantes do parasita, procedentes do solo, água ou alimentos contaminados com fezes humanas.

O diagnóstico é feito pelo exame parasitológico de fezes, escarro ou lavado gástrico através da técnica de Baerman-Morais. O diagnóstico laboratorial é feito mediante a realização do exame parasitológico de fezes, preferencialmente, através do método Kato-Katz. A biópsia retal ou hepática, apesar de não estar indicada para utilização na rotina, pode ser útil em casos suspeitos, na presença de exame parasitológico de fezes negativo. O exame macroscópico: permite a verificação da consistência das fezes, do odor, da presença de elementos anormais, como muco ou sangue, e de vermes adultos ou partes deles. A enfermagem deve atuar de forma a educar o paciente quanto a maneira correta de coletar as fezes, explicando o procedimento básico e também realizar a coleta quando necessário. O exame parasitológico de fezes é uma ferramenta importante, útil e necessária para que a saúde seja mantida e preservada. A doença / Agentes causadores A síndrome de imunodeficiência adquirida (Aids) é a doença infecciosa que mais mata no mundo. Estar infectado pelo HIV não necessariamente significa já ter desenvolvido sintomas de Aids. Sintomas Em geral, após a infecção pelo HIV, a pessoa infectada pode permanecer por longos períodos sem desenvolver sintomas de Aids.

3. 1 Exame Parasitológico de Fezes

  • Parasitoses oportunistas e VIH/Sida: da apresentação clínica ao diagnóstico laboratorial
  • Diagnóstico clássico e molecular de doenças parasitárias oportunistas
  • Avanços tecnológicos no contexto das parasitoses oportunistas

De acordo com as estatísticas, mais da metade dos soropositivos apresenta os sintomas de Aids após oito anos de infecção.

Tratamento No Brasil, por meio do Programa de Aids do Ministério da Saúde, os medicamentos para tratamento da infecção são fornecidos gratuitamente. Então, conclui-se que o diagnóstico precoce da infecção pelo HIV e tratamento adequado do mesmo são instrumentos importantes no controle da epidemia e no desenvolvimento de doenças relacionadas à Aids. Panorama geral da doença no Brasil Desde o início da epidemia, em 1980, até junho de 2012, o Brasil teve 656.701 casos registrados de Aids. Em 2011 foram notificados 38.776 casos da doença e a taxa de incidência de Aids no Brasil foi de 20,2 casos por 100 mil habitantes. Esse aumento proporcional do número de casos de Aids entre mulheres pode ser observado pela razão de sexos (número de casos em homens dividido pelo número de casos em mulheres). Em relação aos jovens, os dados apontam que, embora eles tenham elevado conhecimento sobre prevenção da Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis, há tendência de crescimento do HIV. Atualmente, o Programa Integrado de Aids (Piafi) da Fiocruz congrega as diferentes atividades na áreas de pesquisa, assistência, desenvolvimento tecnológico, produção e controle de qualidade referentes à infecção pelo HIV/Aids. São exemplos desse tipo de parasito as pulgas, os piolhos e os mosquitos.O ciclo vital de um organismo parasito pode se desenrolar em um ou mais hospedeiros. Parasitologia Clínica O exame parasitológico de fezes ainda é a ferramenta fundamental no diagnóstico das parasitoses que tem na via anal a via de eliminação das formas evolutivas (Coura, 2005).

Exame macroscópico Permite a verificação da consistência das fezes, odor, presença de elementos anormais(muco e sangue) e de vermes adultos ou partes deles.

Fezes • EPF – Denominação da maioria das técnicas de observação microscópica das fezes, sendo o exame direto e a concentração do material, oocistosfecal, os mais utilizados. Em pessoas saudáveis, a parasitose é completamente assintomática, mas em indivíduos com AIDS, por exemplo, o parasito pode causar graves problemas. O exame  dessas parasitoses é realizado através das fezes do indivíduo infectado. É também considerada infecção oportunista que se manifesta com gravidade sempre que o hospedeiro sofra um processo de imunodeficiência (AIDS, Câncer, etc.). No caso da leishmaniose visceral, pelo exame do sangue (testes sorológicos) ou através de punção de material aspirado do baço, medula óssea e gânglios linfáticos. O exame dessas parasitoses é feito através das fezes do indivíduo infectado. Sua comprovação é feita mediante exame nas fezes. Com frequência, este tipo de exame tem de ser repetido em diferentes períodos de tempo, porque os parasitas apresentam ciclos de vida diversos e intermitentes. Em nosso laboratório, a pesquisa de parasitos (ou o exame parasitológico) é feita pela associação dos A AIDS constitui a manifestação mais grave de várias doenças após a infecção primária do HIV. A AIDS seria a primeira doença ligada às condições devida, nem menos por ser infecciosa, pois a tuberculose também o é. Essa forma é indicativa de Aids em pacientes pertencentes de maior risco, em pacientes gravemente enfermos provocados por outras patologias. A doença pode separar em duas categorias, os que têm HIV e os que têm AIDS. Entre os pacientes com essas doenças têm muitos traços em comum, sendo o HIV /AIDS uma delas, pois mesmo na ausência deste essas doenças aparecem. A doença é a maior responsável pela morte de pacientes com Aids no mundo.