A hanseníase se apresenta, basicamente, de duas formas. O tratamento depende do tipo.

Posted on

o Toxoplasma gondii, um protozoário

um protozoário denominado Toxoplasma gondii. #DESTRINCHANDO O CICLO DA TOXOPLASMOSE - Hospedeiro definitivo: Gato e outros felinos; - Hospedeiro intermediário: Mamíferos (principalmente carneiro, porco, cabra e o próprio homem) e aves. O parasito apresenta morfologia múltipla dependendo do habitat e estado evolutivo existem três formas infectantes no ciclo biológico: - Taquizoíto: pseudocisto; Forma de reprodução rápida, observado na fase aguda. * No hospedeiro humano, os parasitas formam cistos nos tecidos do músculo esquelético, miocárdio, cérebro e olhos. Estes cistos podem permanecer durante toda a vida do hospedeiro. Toxoplasma gondii Introdução Protozoário coccídeo intracelular, causador A infecção pode ter como hospedeiro intermediário vários gatos, a infecção também pode ser adquirida ao ingerir carne mal cozida, sendo Taquizoítos (setas) de Toxoplasma gondii Cisto tecidual contendo bradizoíto O Toxoplasma gondii, agente etiológico da

Morfologia e Habitat

  • AS PRINCIPAIS FORMAS DO TOXOPLASMA GONDII

pelo Toxoplasma gondii.

O Toxoplasma gondii apresenta três formas formas de reprodução lenta do Toxoplasma gondii, e estão Os oocistos são as formas resultantes do ciclo O Toxoplasma gondii O T. gondii, pela sua versatilidade, dependendo do (Ciclo heteroxênico); – Hospedeiro intermediário /vetor: barbeiro; –  Hospedeiro definitivo: o homem; – Profilaxia: melhoria das condições de moradia; combate ao “barbeiro”; seleção dos doadores de sangue. A Toxoplasmose é uma doença infecciosa causada pelo parasito Toxoplasma gondii (T. gondii). Durante seu ciclo de vida, este parasito microscópico apresenta três formas infectantes: taquizoítos (forma livre, Figura 1-A), bradizoítos (dentro de cistos, Figura 1-B) e esporozoítos (dentro de oocistos, Figura 1-C). O T. gondii é o protozoário mais difundido na população humana e animal (exceto animais de sangue frio).

Ciclo de vida da doença de chagas

  • Ciclo evolutivo: Heteroxênico
  • Transmissão: Ingestão de ovos

Na Figura 1-D é possível visualizar o ciclo de transmissão do T. gondii.

5) Animais criados para o consumo humano e da caça selvagem podem também ser infectados com cistos teciduais ou após a ingestão de oocistos esporulados no ambiente. 10) No hospedeiro humano, os parasitos formam cistos teciduais, mais comumente no músculo esquelético, miocárdio, cérebro e olhos; esses cistos podem permanecer durante toda a vida do hospedeiro. 11) O diagnóstico das infecções congênitas pode ser alcançado através da detecção de DNA de T. gondii no líquido amniótico, utilizando métodos moleculares. Para entendermos o papel dos gatos na transmissão da doença, primeiramente, temos que entender como é o ciclo de vida do parasito T. gondii. O ciclo de vida deste parasito ocorre em duas fases distintas: - Fase sexuada: ocorre SOMENTE nas células das paredes intestinais de gatos (e outros felídeos) infectados. Os gatos não transmitem a doença por toda a vida, apenas durante o ciclo do parasito que dura em torno de 2 semanas. Introdução Infecção mais comum no mundo (10 – 68%);Prevalência da doença é baixa; Felídeos: Hospedeiro definitivo (parasito intestinal); Demais animais: Hospedeiros intermediários (parasito tecidual); 4 Introdução Toxoplama gondii;1908: Splendore (Brasil) / Coelhos de laboratório; 1908: Nicolle e Manceaux (Tunísia) / Roedor Ctenodactylus gondii; 1909: Franceses Gênero: Toxoplasma / T.gondiiI; Charles Nicolle & Manceaux 5 Morfologia Taquizoíto: Também chamado trofozoíto ou forma livre;Encontrado na fase aguda; Forma proliferativa; Taquizoíto: corpo rápido (reprodução - Endogenia); Foi a primeira forma vista e descrita; 10

Ciclo de vida do parasita

  • Evitar a ingestão de carne crua ou mal cozida;
  • Evitar o contato ou a contaminação do ambiente com fezes de gatos;
  • Fazer o acompanhamento sorológico das gestantes.

Morfologia Bradizoíto: Também chamado cistozoíto ou forma de latência;Forma de um pequeno taquizoíto; Encontrado dentro de “cistos” em células de diversos tecidos; 11

Patogenia De casos benignos até lesões graves; Deve- se :Virulência da cepa; Via de infecção (congênita: mais grave); Estado imunológico e idade do paciente. Acredita-se que mais de meio bilhão da população humana tenha sorologia positiva para T. gondii. Além desse comprometimento agudo, uma fração de pacientes vai desenvolver quadros oculares na fase crônica da infecção, com coriorretinite, que pode levar à cegueira. O Toxoplasma gondii é um protozoário pertencente ao filo Apicomplexa, parente distante do Cryptosporidium e do Plasmodium. Ciclo da toxoplasmose: os felinos excretam oocistos nas fezes que são ingeridos por suas presas e evoluem para cistos teciduais. O ciclo sexuado, como já mencionado, só ocorre em gatos, e compreendem a gametogênese completa, culminando com oocistos eliminados nas fezes dos gatos. TAQUIZÓITO O taquizoíto é a forma de vida rápida, invasiva; requer um habitat intracelular para sobreviver e multiplicar-se; rompem as células hospedeiras, sendo essa a principal forma patológica do parasita. Os cistos são formados nas primeiras semanas da infecção e podem permanecer nos tecidos por toda a vida do hospedeiro. Essa forma de T. gondii cora-se bem pelo método de ácido periódico de Schiff (PÁS).

Apresentação em tema: “Parasita Habitat Forma parasitária Forma eliminada Ação patogênica”— Transcrição da apresentação:

SÍNDROMES CLÍNICAS DA INFECÇÃO POR TOXOPLASMA GONDII A toxoplasmose aguda em indivíduos normais é, na maioria das vezes, uma infecção subclinica, assintomática, podendo,

TOXOPLASMOSE OCULAR A toxoplasmose ocular é uma das principais manifestações de infecção humana por T. gondii. O diagnóstico histopatológico diferencial de T. gondii com outros microrganismos intracelulares de formas aproximadas engloba os agentes de histoplasmose, leishmaniose, doença de Chagas, sarcoidose e isosporíase. Anticorpos IgG frequentemente aparecem em uma a duas semanas após a aquisição da infecção, com pico ao redor do primeiro ao segundo mês, mas usualmente persiste por toda vida. TRATAMENTO Qualquer droga usada regularmente contra T. gondii age primeiramente contra o taquizoíto e não age ou erradica a forma encistada. Evitar a infecção por T. gondII é mais importante em duas populações, O principal fator está em evitar a ingestão e o contato com cistos e oocistos. Infecção primária por T. gondii - Evitar contato com material potencialmente contaminado com fezes de gato MISODOR, 19 DE JULHO 2009 BIBLIOGRAFIA ANTONIO CARLOS LOPES - TRATADO DE CLINICA MEDICA - Volume III, pp 4143-41476 - Editura ROCA 2006 Sérgio Luis Gianizella: Toxoplasma gondii – Agente Etiológico da toxoplasmose é uma doença causada pelo protozoário parasita Toxoplasma gondii. saudáveis infectadas pelo toxoplasma gondii geralmente não apresentam sintomas

Apresentação em tema: “Reino Protista Protozoários e Algas 1)Protozoários – “animais” primitivos Eucariontes Unicelulares Heterótrofos (Vida Livre ou Parasitas). Habitat: dulcícolas,“— Transcrição da apresentação:

Quando a doença ocorre, geralmente apresenta sintomas de gripe que duram por

Então você pode recomendá-lo com o Google +1: Use a busca abaixo para encontrar o que deseja em mais de 5 mil páginas sobre esporte, saúde e bem-estar: Créditos: Ou seja, nesses animais o ciclo reprodutivo do parasita se completa nas células da mucosa intestinal, e eles eliminam ovos (oocistos) nas fezes durante a fase aguda da infecção. Homens e os outros animais são apenas hospedeiros intermediários do parasita que penetra pelo tubo digestivo e, através da corrente sanguínea, pode alojar-se em diferentes tecidos do corpo. Se o sistema imunológico estiver fortalecido, o parasita pode permanecer inativo em tecidos do corpo do portador por toda a vida, sem que ele sequer saiba que foi infectado. No entanto, se o sistema de defesa estiver debilitado, a infecção pelo Toxoplasma gondii pode espalhar-se pelo cérebro, coração, fígado, músculos, pulmões, olhos, ouvidos, etc. No entanto, o risco de passar a infecção para o feto desaparece, quando a mãe apresenta sorologia positiva contra o T. gondii, porque desenvolveu anticorpos contra ele. O tratamento é indispensável para os pacientes sintomáticos, imunossuprimidos e para as gestantes, pois a forma disseminada da doença pode provocar complicações graves e levar a óbito. Toxoplasma gondii 2 As larvas rabditóides no ambiente também podem transforma-se em machos ou fêmeas adultos de vida livre, realizando vários ciclos no solo até produzirem larvas filarióides de penetração cutânea (ciclo indireto).

Deteccao do Toxoplasma gondii, no sangue periferico, em pacientes com toxoplasmose ocular utilizando e comparando as tecnicas de imunohistoquimica e reacao em cadeia da polimerase

Epidemiologia: O complexo Teníase/Cisticercose constitui-se de duas entidades mórbidas distintas, causadas pela mesma espécie de cestódeo, em fases diferentes do seu ciclo de vida.

Ciclo evolutivo: Heteroxênico Transmissão: Ingestão de ovos Patogenia e quadro clinico: Localizações mais freqüentes dos cistos hidáticos: - fígado 70%, pulmões 30%, músculos 6%, baço 2 %, cérebro 1% e ossos 1%. MorfologiaEste protozoário apresenta duas formas básicas: -trofozoíto: mede cerca de 60 a 100µm de comprimento por 80µm de largura. Internamente apresenta varias organelas como micro e macronúcleo, vacúolos digestivos e vacúolos contráteis.- cisto: mais ou menos esférico, medindo cerca de 40 a 60µm de diâmetro. Biologiaa) Habitat: B. coli vive usualmente na luz do intestino grosso de seu hospedeiro, parecendo não ser capaz de penetrar em mucosas intestinais intactas. Quando existe infecção humana, quase sempre esta ocorreu à partir de cistos (e mesmo de trofozóitos) provenientes de fezes suínas, que contaminaram as mãos ou os alimentos humanos. As formas de resistência podem ainda ser encontradas no meio exterior junto com as fezes após completar a fase intestinal. Assim sendo, o parasito apresenta múltiplas morfologias, dependendo do habitat e estado evolutivo. 2) Modo de transmissão: A infecção por T. gondii constitui uma das zoonoses mais difundidas do mundo. Assim sendo, as gestantes em fase aguda da infecção podem abortar o feto, produzir partos precoces ou a termo, dando origem a crianças sadias ou apresentando anomalias graves.

A hanseníase se apresenta, basicamente, de duas formas. O tratamento depende do tipo.

Portanto, a toxoplasmose congênita é uma das formas mais graves da doença.

Morfologia Giardia lamblia pode ser encontrada em uma de suas duas formas: trofozoíto e cisto. O ciclo se completa pelo encistamento do parasito e eliminação para o meio exterior. A maioria das infecções é assintomática e pode ocorrer em adultos ou crianças, que muitas vezes podem eliminar cistos nas fezes por um período de até seis meses. Fase aguda: É aquele período após a infecção em que os sintomas clínicos são mais marcantes (febre alta, dores, etc). Hospedeiro definitivo: é o que apresenta o parasito em fase de maturidade ou em fase de atividade sexual. Hospedeiro intermediário: É aquele que apresenta o parasito em fase larvária ou assexuada. O hospedeiro definitivo infecta-se pela ingestão de formas infectantes contidas em tecidos musculares do peixe, crus, mal cozidos ou mal passados (ANDRADE, 2010). Excepcionalmente, em Hymenolepis nana pode ocorrer a formação de larvas Cisticercóides nas vilosidades da parede intestinal do homem, já parasitado por formas adultas, registrando-se auto-infecção (REY, 2011). A infecção definitiva do hospedeiro ocorre por ingestão do hospedeiro intermediário ou por ingestão de hospedeiros paratênicos.

(Parte 1 de 12) 20/11/2014 A toxoplasmose é uma zoonose causada pelo Toxoplasma gondii, protozoário intracelular obrigatório de distribuição cosmopolita, conhecida popularmente como “Doença do gato”.

O gato, e felídeos em geral, são os únicos hospedeiros, nos quais o ciclo biológico do parasito é completo, pois apresentam o ciclo extra-intestinal e entero-epitelial (sexuado). A infecção pelo parasita Toxoplasma gondii, responsável pela toxoplasmose, é das mais comuns em todo o mundo. Algumas estirpes mais agressivas do parasita podem matar o hospedeiro (organismo que o alberga), mas, ao matá-lo, não consegue completar o seu ciclo de vida. Os parasitas são organismos que dependem de outros para viver e muitos precisam de um hospedeiro para completar o ciclo de vida. No caso do protozoário Toxoplasma gondii, o ciclo de vida é complexo. Quando o hospedeiro primário caça e come o hospedeiro intermediário, o parasita completa o seu ciclo de vida. “É evidente que os ratos e o Toxoplasma gondii tiveram um forte impacto selectivo um no outro”, afirmam os investigadores no artigo. O ciclo de vida doparasita é complexo e só se completa nos seus hospedeiros definitivos (felinos), como será descrito a seguir: (Dubey et al., 1998) Epidemiologia. apresenta dois tipos de ciclo reprodutivo: o sexuado, nas células

e cistos são as formas encontradas intracelularmente no hospedeiro

então, era freqüentemente confundido com Toxoplasma gondii. Embora semelhante ao toxoplasma, ele tem um ciclo de vida heteroxeno, com mostraram que esse parasito apresenta lesões semelhantes às 1 - Ciclo de vida de Neospora caninum. O parasito apresenta, principalmente no cérebro, O Toxoplasma gondii é um protozoário comum, que se reproduz em gatos e se espalha em suas fezes, e causa a toxoplasmose. A equipe da Universidade de Chicago admite que ainda precisa estabelecer se a infecção com o Toxoplasma gondii causa os surtos de raiva. A toxoplasmose é uma infeção causada por um parasita, o Toxoplasma gondii. – Nas formas crónicas, pode ocorrer inflamação ocular que pode ser grave se não for devidamente tratada.

Fontes A toxoplasmose é causada pelo protozoário Toxoplasma gondii, que tem distribuição geográfica mundial e apresenta alta prevalência sorológica, ou seja, muitas pessoas já entraram em contato com o mesmo.

O T. gondii é um parasito heteroxênico, ou seja, possui hospedeiro definitivo (HD) e intermediário (HI). Ciclo coccidiano – fase assexuada e sexuada: Ciclo assexuado: Taquizoíto – sua multiplicação é rápida; presente na fase aguda da infecção. Logo após a invasão de uma nova célula por um taquizoíto, o ciclo assexuado pode levar à formação de bradizoítos intracelulares. O ciclo se completa, quando o felídeo ingere os tecidos infectados do hospedeiro intermediário. A patogenia depende da virulência da cepa do T. gondii, da imunidade do hospedeiro entre outros. Na fase aguda da infecção há o rompimento celular e liberação de novos taquizoítos no sangue e linfa, assim como desenvolvimento da imunidade e eliminação das formas extracelulares. Fase crônica há evolução das formas intracelulares para a forma cística – bradizoítos. Capítulo 18 – Toxoplasma gondii Toxoplasmose é causada por um cisto do tipo Toxoplasma gondii, um dos parasitas mais comuns do mundo. Doença :Toxoplasmose Parasito: Toxoplasma gondii Habitat: Sangue e tecidos do homem.

Fonte: Dicas de Mulher O Toxoplasma gondii é um protozoário unicelular, eucarioto, intracelular obrigatório,  causador da doença conhecida como toxoplasmose.

Morfologia: múltipla, dependendo do habitat e estágio gondii 2.1 Fase sexuada: Ocorre Ciclo assexuado e sexuado do T. gondii. Algumas drogas: Forma semelhante à banana e apresenta uma reprodução rápida, encontrada no interior de células (intracelular). É a doença causada pelo protozoário Toxoplasma gondii, com alta prevalência no mundo inteiro entre pessoas e animais de sangue quente. Gatos geralmente apresentam a doença quando filhotes e, nesta fase, podem eliminar os oocistos do protozoário nas fezes. Estima-se que apenas 1% da população felina elimine os cistos do protozoário T. gondii no ambiente. O consumo de leite cru, não pasteurizado, com presença de taquizoítos (uma outra forma do parasito) também consiste em uma fonte possível de infecção. 2) A forma mais grave de infecção é a transmissão transplacentária (a mãe transmite a doença para seu bebê durante a gravidez).

O diagnóstico sorológico da infecção por T. gondii inicia com a pesquisa de anticorpos específicos das classes IgG e IgM e com análise dos níveis destes anticorpos (SZPEITER,2000; PETRY,1997).

HISTÓRICO O Toxoplasma gondii foi descoberto em 1908, e no mesmo ano, no Brasil foi descrito por Alfonso Splendore. Comunicaram a existência do T. gondii em lesão do sistema nervoso central de uma criança falecida com um mês de vida. O primeiro a reconhecer o papel do gato no ciclo evolutivo do parasito foi Hutchinson (1965), mostrando que esses animais poderiam eliminá-lo pelas fezes. Os bradizoítos, formas assexuadas e com metabolismo lento, estão localizados dentro do cisto tecidual especialmente durante a fase crônica da infecção, chegando a permanecer por longo tempo nos tecidos. Durante o desenvolvimento desse ciclo ocorre uma fase assexuada (merogonia) e outra sexuada (gamogonia) do parasito. Imunidade Humoral A produção de imunoglobulinas de classe IgM aparece inicialmente seguida de IgG, após a infecção do hospedeiro. As imunoglobulinas da classe IgG podem ser detectadas pelas reações sorológicas dentro de oito a doze dias após a infecção pelo T. gondii. Imunidade Celular Quando se inicia a infecção de T. gondii, os taquizoítos atingem o interior da célula onde se multiplicam. Entre as populações de células T, CD8+ são consideradas as células efetoras maiores, responsáveis pela proteção contra T. gondii, com as células CD4+ atuam em sinergismo.

O tempo entre a infecção aguda materna e a infecção fetal depende de diversos fatores como virulência da cepa do T. gondii e estágio de desenvolvimento da placenta.

Nos casos mais graves de infecção congênita, o recém nascido pode apresentar modificações do volume craniano, calcificações intracerebrais e/ou convulsões. Na fase aguda da infecção pode ocorrer a toxoplasmose congênita. Após um ano, sua presença no sangue da criança significa que o sistema imune dela foi estimulado pelo T. gondii e, portanto houve infecção (BOYER et al., 1998). A permanência de cistos latentes no organismo induz um constante estímulo antigênico, revelado pela manutenção dos títulos sorológicos de anticorpos de classe IgG durante toda a vida do hospedeiro. Anticorpos da classe IgM e IgA podem ser identificados contra a principal proteína de superfície do T. gondii (proteína P30), pela técnica de Western Blot (GROSS et al., 1992). Em outras palavras apresenta manifestações clínicas o medicamento vai ajudá-lo naquele momento interrompendo a multiplicação do parasito e estabilizando o quadro clinico. Inquérito sorológico para a infecção por Toxoplasma gondii em ameríndios isolados, Mato Grosso. BORGES, A. S. Toxoplasmose na gestação e transmissão vertical do Toxoplasma gondii. Avidez de anticorpos IgG específicos como marcadores de infecção primária recente pelo Toxoplasma gondii. Duration of immunity to shedding of Toxoplasma gondii oocysts by cats. Structures of Toxoplasma gondii Tachyzoites, bradyzoites, and Sporozoites and Biology and Development of Tissue Cysts. R.,DUBEY,J.O., MILLER, N. L. Toxoplasma gondii in cats:fecal stages identified as coccidian oocysts. Improved serological diagnosis of Toxoplasma gondii infection by detection of immunoglobulin A (IgA) and IgM antibodies agains P30 by using immunoblot technique.J Clin Microbiol 30(6):1436-1441,1992. Determonation of Genotypes of Toxoplasma gondii Strains Isolated from Patiens with Toxoplasmosis. R. E., McLEOD, R., & ROBERTS, C. W. Toxoplasma gondii tachyzoite – bradyzoite interconversion. Comparative Susceptibility of Different Cell Lines for Culture of Toxoplasma gondii in vitro. Toxoplasma gondii e toxoplasmose.Parasitologia.2.ed.Rio de Janeiro:Guanabara Koogan S.A.p.